domingo, 1 de abril de 2012

Importância de acolher, respeitar e semear.

Ontem fui com uma amiga grávida de 4 meses na inauguração do Espaço Nascente e fizemos duas oficinas. A primeira delas era sobre corpo, emoções e parto... e mesmo não estando grávida, participei e foi muito legal pra mim, pude pensar em muitas coisas do que eu estou gestando agora na minha vida, que não é meu filho, mas de certa forma são coisas que estão se transformando na minha vida. Mas o ponto não é esse, o ponto é que esse tipo de encontro é crucial na vida da grávida. Eu mesma pude vivenciar um encontro desse tipo quando estava grávida e pra mim fez toda diferença, por mais que eu já soubesse o que queria, toda a conversa e a maneira como essas doulas abordam o assunto, com amor, cuidado, delicadeza e encorajamento faz toda a diferença! É nessa hora que você sente o carinho que aquele momento pede, não é questão de fazer ou não a cirurgia, de doer ou não ou seja lá o que for que esteja passando pela sua cabeça e sim que todo mundo está se esquecendo de te acolher e mostrar que o que vem vindo é amor e que é isso que você quer dar pro seu filho, esse carinho e amor ao trazê-lo pro mundo! Por mais que eu pesquisasse, conversasse e tivesse pessoas me apoiando, eu não tinha ainda alguém que tivesse essa sensibilidade de pensar no parto com tanto amor ao invés de somente uma coisa que eu vou ter que vivenciar de um jeito ou de outro. Alguém que também fosse mulher, fêmea parideira, que ama poder ter esse poder e semear coisas boas em volta do parto. E é preciso criar um momento pra tudo acontecer, é preciso criar intimidade, fazer com que as pessoas se abram e se conectem aos seus bebês e se deixem sentir, sentir o que a intuição manda, é preciso fazer aquela pessoa se sentir bem vinda, seja a mãe, seja o filho, seja o pai... é nessa hora que cai a ficha! É isso que quero passar pro meu filho, que ele se sinta acolhido, respeitado e amado. Pelo menos foi assim comigo... já não era mais uma questão de me cortarem ou não, mas sim de fazer esse caminho da maneira mais amorosa possível. E como isso acontece pouco! O que mais falam são coisas inúteis, senão trágicas! Minha gente, cadê o bom senso?! Se você quer fazer parte, dar um pitaco, seja sensível pra perceber que não se trata de disputa de verdades e sim uma nova relação com a vida que se transforma! não tem verdades, tem só transformação! Se tem uma verdade é que a gente precisa se abrir e receber com amor.

E a segunda era sobre banhos de ervas e foi muito legal também, coisas boas e naturais são sempre boas e se sentir cuidado com todo o ritual que é colher, cozer, oferecer ou seja como for, é sempre gostoso e eu acredito que o conjunto todo faz muito melhor que você ir na farmácia, comprar um comprimido e tomar e continuar sua vida seca e solitária. E fiquei pensando nessa coisa toda de se sentir cuidado e quanto isso faz bem pro coração, pra alma, pro espírito, pra saúde mental, pra saúde física! Pra tudo! E com o mundo tem elimidado tudo isso como se não fizesse diferença, como se todos fosse auto-suficientes ou sei lá o que! E como isso não faz sentido algum... porque quanto mais o corpo pede, mais é sinal de que alguma coisa está faltando... e o que está faltando é acolhimento, respeito e espalhar tudo que você acredita que é bom.


Um ps. aqui.

Eu fiquei pensando nisso tudo e na real o negócio é realmente plantar coisas boas pra colher coisas boas, tudo leva tempo, tanto pra cultivar, ou desfazer. Eu por exemplo, não fui fui acolhida quando nasci, nem na infância ou adolescência... e só fui descobrir o que é ser cuidada com amor quando já era adulta e fui aos poucos me permitindo ser mimada, ser cuidada, ser ajudada... e ainda hoje tenho dificuldades de lidar com isso, e olha que o mais óbvio seria gostar e aproveitar esse tipo de coisa! Mas não... quando se passa tanto tempo vivendo sozinha e tendo que se virar com os próprios sentimentos, a gente cria uma armadura inquebrável e tem sido um esforço fenomenal da minha parte pra mudar isso e ainda me vejo sendo grossa, seca e indiferente em muitas situações que pedem exatamente o oposto. E é preciso quebrar essa corrente de frieza, por mais que leve anos... porque esse movimento com certeza trará coisas melhores ao mundo e a você mesmo. Pelo menos é o que eu acredito. E vejam o progresso, hoje eu acredito em alguma coisa rs.

Um comentário: